Passo a passo para viajar de AVIÃO com seu CACHORRO [exames e documentação]

Você quer viajar com seu pet? Nesse artigo e no vídeo abaixo daremos um passo a passo sobre toda a documentação e exames que você precisa preparar para viajar de avião com seu cachorro.

Então fique atento, pois estas dicas podem te ajudar desde o planejamento da sua viagem até o momento do checkin e da chegada ao seu destino.

Lembrando que nossa experiência é válida para viagens para a Europa. Se seu destino for outro, pesquise melhor sobre as exigências da região, país ou continente que irá desembarcar.

DICAS DOCUMENTAÇÃO:

  1. Implantação do Microchip: ele confere os dados do dono do pet (e isso é importante no dia do voo). Lembrando que não é um chip localizador, mas caso o seu pet se perder algum veterinário pode fazer a leitura do chip e ver os seu dados. Ahh… e não se esqueçam de pedir um certificado do microchip para o seu veterinário.
  2. Neste mesmo dia fizemos a Vacina Antirrábica, que também é uma exigência. Guarde bem o cartão de vacinas do seu peludo.
  3. Sorologia: 1 mês depois da implantação do chip e da vacina você volta ao seu veterinário ou em algum laboratório que tenha experiência em coleta para Sorologia. A coleta pode ser feita em uma clínica ou laboratório que você escolher, mas o exame necessariamente será feito em um laboratório que fica em Belo Horizonte (TECSA – http://www.tecsa.com.br/), pois é o único do Brasil credenciado para a realização desse procedimento. No nosso caso, a própria clínica que fez a coleta a enviou para análise em BH. Esse procedimento é o mais importante, então verifique se o seu veterinário tem prática nisso. A sorologia é uma coleta de sangue e dessa coleta é feita a extração do soro. Ele é delicado porque tem que ter uma coloração exata. Mas fique calmo, se o veterinário tiver experiência, é super tranquilo. Só na sorologia nós pagamos cerca de R$ 700,00. No microchip e na vacina pagamos por volta R$ 150,00.
  4. Feita a Sorologia, agora é aguardar o resultado sair (cerca de 15 dias úteis), e esperar 3 meses para você poder embarcar. A contagem dos 3 meses começa a partir do momento que você faz a coleta para a sorologia, e não quando sai o resultado. E agora é o momento de você comprar a Caixa de Transporte, roupas, e outras coisas. Sugiro que assista a este vídeo.
  5. Depois que sair o resultado e estiver tudo certo, é hora de escolher a companhia aérea, comprar a passagem e reservar o lugar do seu pet no voo. As regras mudam de acordo com cada companhia. No nosso caso, a Marinês foi no porão do avião, em um compartimento especial para cargas vivas, pois o peso dela somado ao peso da sua caixa ultrapassava o limite para viajar na cabine.
    Nós viajamos pela Ibéria (companhia espanhola) e, mesmo pagando um pouco mais, não nos arrependemos. Atendimento sem igual, tanto pelo telefone, como na hora do checkin. Nossa dica é que você não olhe apenas o valor da passagem na hora de escolher a companhia que vai levar você e seu amado de 4 patas.
  6. Já com as passagens em mãos, 1 mês antes da sua viagem você precisa ligar no Ministério da Agricultura e Pecuária (http://www.agricultura.gov.br/), em um departamento chamado Vigiagro, e deixar marcado a sua ida para a emissão do CZI (Certificado Zoosanitário Internacional). Este agendamento precisa ser feito bem próximo à data da viagem, pois o CZI tem validade de apenas 10 dias. No dia agendado, você precisa levar: formulário
    próprio da Vigiagro preenchido (nossa veterinária preencheu para nós, pois já tinha o formulário), certificado do microchip, carteira de vacina, resultado da Sorologia e atestado médico. O meu atendimento demorou cerca de 20 minutos e você não precisa pagar nada. Fiz esse procedimento no dia do meu voo. É um pouco arriscado, mas se a documentação estiver correta, não tem problema fazer isso no dia da viagem.
  7. E, por último, você precisa voltar no veterinário para emissão de um atestado médico. O atestado tem validade de mais ou menos 3 a 5 dias, então deve ser feito nas vésperas da viagem. É interessante ver também se a vermifugação e o controle de carrapato e pulgas estão em dia. Nesse retorno, eu paguei mais uma consulta e a aplicação do vermifugo. Se não tiver, faça e peça que o veterinário coloque na carteira de vacina. Dica: tire cópias de todos os documentos (melhor pecar pelo excesso, do que pela dor) e comprem um pasta para colocar os documentos e não perder nada.

Se quer mais dicas de cuidados com seu pet, baixe agora nosso e-book grátis com 10 dicas essenciais para um cão feliz. SÉRIO, É DE GRAÇA!

Checkin:

  • Chegue umas 3 horas antes do voo. Porque o seu checkin é super rápido, mas do seu pet demora. O atendente pediu as documentações, verificou o tamanho e pesou a caixa já com a Marinês e tudo dentro. Colocaram o adesivo de identificação na parte superior da Caixa e adesivos próprios para o transporte de carga viva. E só aí eles liberam a taxa de pagamento. Nossa viagem foi em fevereiro de 2019 e pagamos cerca de R$ 1.340,00.
  • Após o checkin, eles permitem ficar com o pet até 1 hora antes do voo. E na hora da despedida, estejam preparados para as lágrimas, porque é de partir o coração. Mas fiquem também tranquilos e confiantes, eles estarão bem e seguros. Tem um lugar especifico que eles recolhem o pet, passam pela esteira de raio-x e de lá já leva para a zona de carga. Na Iberia tem uma zona especial adequada para carga viva com a mesma temperatura da cabine.
  • Feito tudo isso, agora é aguardar o reencontro com o seu pet. E fique tranquilo, que dará tudo certo!

A Chegada:

  • Desembarcamos em Madrid (que por sinal, é um aeroporto gigantesco e lindo). Demorei mais ou menos uns 30 minutos para chegar na área de pegar as malas. Lá tem um guichê da Ibéria (mas também atendem outras companhias), e foi nesse guichê que esperei ansiosamente quase 30 minutos o meu reencontro com a Marinês.
  • Uma dica: se quando chegar ao seu destino for alugar um carro, ir de trem, ônibus ou metrô, pesquise direitinho se os pets são permitidos e veja também o tamanho do carro para não ter problemas na sua chegada.
  • Depois de uma longa espera, você terá o seu esperado reencontro com seu pet e precisará passar pela Receita Federal, que fica também na área de bagagens. Lá eles pedem toda a documentação novamente e também passam o leitor no dorso do pet para ler o microchip.
  • É isso aí, humanos, agora é só curtir a viagem com seu catioro lindo!
A Marinês fechando o olho pra lembar que deu tudo certo no voo dela…

RESUMINDO

Enfim, pra sua viagem de avião com seu cão ser perfeita você precisa realizar os seguintes procedimentos:

  • Implantação do Microchip;
  • Vacina antirrábica;
  • Sorologia;
  • CZI;
  • Atestado médico;
  • E, além disso, estar atento e bem informado para o momento do checkin e da chegada ao seu destino.

Se inscreva em nosso canal do YouTube para não perder este e nenhum outro conteúdo.

E não se esqueça de seguir a gente também no Instagram e no Facebook. Tchau, humanos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *